SETOR MALHARIA



  O setor de malharia está dentro dos três setores mapeados pelo projeto Economias Transformadoras: Arranjos produtivos do Distrito Federal (link do projeto). Dentro do setor são identificados os atores de aglomerações produtivas e especializadas, ou arranjos produtivos locais, formalizados ou não. 

O  segmento de malharias é um dos setores que compõem a cadeia do setor têxtil e de confecção – que movimentou R$ 2 bilhões somente no ano de 2017, segundo dados da Associação Brasileira da Indústria Têxtil.

Se tratando do setor de malharias, o objetivo do projeto Economias Transformadoras: Arranjos produtivos do Distrito Federal é mostrar a necessidade de definição estratégica que contribua para esse setor. Outra ação importante do projeto é a possibilidade de dar embasamento para a construção de políticas públicas com vistas ao desenvolvimento sustentável.

Atualmente, por meio de análise foi identificado o comportamento do ramo de malharia do Distrito Federal, isso de acordo com os vínculos empregatícios cadastrados na Relação Anual de Informações Sociais (RAIS), tendo como base os dados recolhidos referentes à arrecadação tributária de ICMS do setor de vestuários no DF. 

Desta forma, a arrecadação agregada mostrou um desenvolvimento, com registros de queda nos vínculos do setor cadastrados na RAIS e na PIA. Além disso, por meio de levantamentos foi percebido um crescimento elevado de compras do GDF de artigos de tecidos, em outros estados porque a produtividade industrial local está abaixo da média nacional (2019). Motivos estes que fortalecem a ideia da execução desse projeto.

Por meio do projeto Economias Transformadoras, existirá um favorecimento dos empresários e microempresários do ramo de vestuário e será possível uma dinâmica econômica, com destaque do local, e ações favoráveis à geração de emprego e renda. O mapeamento vai identificar os atores de aglomerações econômicas, presentes nos setores produtivos escolhidos, considerados agora, territórios que apresentam efetivo potencial de dinamismo econômico e capacidade de responder aos desafios de uma comercialização competitiva e ao longo da execução do projeto que prevê três ciclos, serão realizadas conexões entre estes atores identificados e potenciais consumidores.

Ainda, os arranjos produtivos e economicamente sustentáveis na área de malharia, por meio do mapeamento e da identificação de cada caso, possíveis no projeto, possibilitará um aumento da divulgação, com a implantação de novos sócios produtivos e sistemas alternativos de produção, com foco no comércio, emprego e na geração de crédito.

Diretrizes e Orientações Gerais

As pesquisas feitas pelos agentes torna possível a criação de medidas que promovem a integração entre médios e pequenos produtores da área de vestuários do DF. A iniciativa dentro do ramo de malharia, também levará em conta os arranjos que sejam permanentes e economicamente sustentáveis.


Malharias no Brasil

  Segundo o Sebrae, o Brasil é o 4º maior produtor de malhas do mundo. O estado de Santa Catarina é o local onde há maior número de produção, ele representa  38,8% da produção nacional. O estado possui 271 malharias e 75,8% delas estão localizadas no Vale do Itajai. Só no setor de malharias, Santa Catarina emprega cerca de 13.182 Colaboradores


A iniciativa pretende fortalecer os três segmentos selecionados.

Icone - Fortalecer
Fortalecer os setores mapeados
Icone - Potencializar
Potencializar a economia local.
Icone - Elevação
Elevação do capital social
Icone - Geração
Geração de emprego e renda
Icone - Parcerias
Desenvolvimento de parcerias
Icone - Divulgação e networking
Divulgação e networking

Participe também, envie informações do seu produto ou serviço!

Envie-nos por Whatsapp